Cruzeiro de Vale de Rosal

Cerca do ano de 1659, é erigido, por iniciativa do Padre Procurador-Geral do Brasil, um cruzeiro numa brenha da Quinta de Vale de Rosal, no local onde outrora existira uma tosca cruz de madeira que fazia...

Ler mais...

Quinta de Santo António do Caiado

A Quinta de Santo António do Caiado encontra-se junto ao solar dos Zagallos, pertenceu a Frei Manuel Caiado cuja família era proprietária na região desde o Século XVI. O brasão dos Caiados e Azevedos encontra-se sobre o portão da entrada da quinta que remonta ao século XVIII.

 

Solar dos Zagallos

O Solar dos Zagallos foi construído no século XVII. Pertenceu à família Zagallo até 1908, ano em que foi adquirido pelos Piano e em 1980 passou para as mãos da Câmara Municipal de Almada que mantém o Solar e os jardins circundantes abertos ao público.

O edifício do Solar resulta de várias intervenções ocorridas desde a criação do morgado, em 1745, até século XX. O conjunto integra para além de outras dependências uma capela dedicada a Santo António decorada com azulejos datáveis do Século XVIII, alusivos aos milagres do santo.

Os espaços exteriores integram um pomar jardins e lagos, bem como uma pequena capela dedicada ao Senhor dos Passos, com decoração em azulejos azuis e brancos.

Ao fundo do jardim em terrenos que haviam pertencido à Quinta de Santo António do Caiado, encontra-se um edifício de planta octogonal – a casa da água, onde se recolhia a água de uma mina próxima. No mesmo local existe a capela de Santo António do Caiado, pequeno espaço de culto no qual se destaca o altar revestido de azulejos e o tecto de embrechados (revestimento decorativo feito com conchas, fragmentos de faiança, de rochas e vidro).

Morada: Largo António Piano Júnior 2815-716 Sobreda
Telefone. 21 294 70 00
Fax: 212 94 70 09
E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Monumento à Mulher

Monumento à Mulher

A 21 de Março de 2009, no parque Multiusos na Sobreda, localizado na Quinta do Bom Retiro em Vale Figueira, foi inaugurado pela Presidente da Câmara Municipal de Almada, Maria Emília de Sousa o Monumento à Mulher.

O Monumento é composto por dois elementos primordiais ligados entre si: dois pequenos muros cobertos de azulejos azuis e duas estruturas em aço inox. Nos azulejos dos muros encontram-se inscritos trezentos e seis nomes de mulheres que que foram uma referência pelos seus feitos e marcaram a nossa história em diversas áreas como na ciência, artes, política, cultura, mas também o nome de mulheres anónimas, simbolizando as histórias de vida desconhecidas, na luta pelos direitos humanos.

As estruturas de aço estão ligadas nos muros mas livremente arquitectam um M, e representam o envolvimento e a solidariedade das mulheres da nossa sociedade para o desenvolvimento de um futuro mais justo, solidário e democrático.

Esta peça de arte pública é da autoria de Lucinda Almeida e João Rodrigues, vencedores do concurso público promovido pela autarquia, que homenageiam o universo feminino em geral e o papel das mulheres Almadenses no processo de construção da igualdade entre os géneros humanos.

25 Anos de poder local democrático

Pela comemoração dos 25 anos do Poder Local Democrático (1976-2001), a Câmara Municipal de Almada assinalou em cada freguesia este importante acontecimento com a implementação de um monumento de arte pública. Um projecto coordenado pelo escultor José Aurélio, sendo a atribuição das freguesias realizada por sorteio.

Na Freguesia da Sobreda foi realizada pela autoria do escultor Fernando Conduto uma peça em aço corten, localizada na Avenida da República (esquina com a rua Manuel Parada), tendo sido inaugurada a 28 de Outubro de 2001.